O predicativo do objecto directo do verbo nomear - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O predicativo do objecto directo do verbo nomear

Qual a frase correta: «Nomearam meu pai chefe dos guardas» ou «Nomearam meu pai a chefe dos guardas»?

Maria Ribeiro Brasil 4K

A frase correcta é: «Nomearam o meu pai chefe dos guardas.» O verbo nomear exige complemento directo («meu pai») e nome predicativo do complemento directo («chefe dos guardas»), sem preposição. O nome predicativo do complemento directo não vem precedido da preposição a, pois o verbo nomear não a exige. Em muitos casos, o nome predicativo do complemento directo não vem precedido de preposição: «o presidente nomeou o amigo seu chefe de gabinete»; «o juiz considerou o réu inocente»; «eu considero-o meu amigo»; «o padre declarou-os marido e mulher». Esse termo vem precedido de preposição apenas se a regência do verbo o pedir ou admitir: «a população tinha o réu por homem de bem»; «chamaram o rapaz de tolo»; «ele escolheu o primo como seu defensor»; «ela aceitou-o por marido».

Maria Regina Rocha