Ébola - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Ébola

Estou a fazer um trabalho de análise de imprensa sobre a cobertura do vírus ébola/ebola. Tanto no Público como no Correio da Manhã encontro o nome do vírus escrito das duas formas. Procurei em vários dicionários mas a palavra não consta em nenhum deles.

Qual é a forma correcta?

Obrigada.

Margarida Ponte Estudante Lisboa, Portugal 2K

A 2.ª actualização da Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira já traz o termo, na forma ébola, que consagra a pronúncia normalmente adaptada.

 

N.E.– Como se refere na abertura Vice-Presidente angolano fala em português, com secretário Estado dos EUA no papel de tradutor (com data posterior a esta resposta), em Portugal os dicionários e vocabulários ortográficos registam  ébola (nome comum) com acento, enquanto os brasileiros registam sem acento: ebola. No primeiro caso, palavra proparoxítona ou esdrúxula; e, no segundo, palavra paroxítona ou grave. É legítimo dar maiúscula inicial a estas formas, Ébola e Ebola, quando a palavra ocorre como nome próprio, em referência ao rio da República Democrática do Congo que está na origem da denominação da doença («o rio Ébola/Ebola») ou quando se emprega relacionalmente para identificar o vírus («o vírus do Ébola/Ebola»).

F. V. Peixoto da Fonseca