Barco/navegação «à vela» ou «a vela»? - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Barco/navegação «à vela» ou «a vela»?

Agradeço que me digam se estou ou não enganada relativamente ao seguinte. Creio que dizemos e escrevemos «à vela» neste contexto, subentendendo uma contracção (que não existe) entre «a» preposição e «a» artigo definido. Se esta expressão estivesse correcta, deveríamos também dizer «barco ao vapor», «ao motor», «aos remos»... Não será a expressão correcta «barco a vela»? Resultará a expressão «à vela» de uma semelhança tão-somente fonética com o francês, em que o «à» de «bateau à voile» é apenas preposição? Deverei corrigir «à vela» nos livros cujos textos revejo?

Maria João Carmona Revisora Portugal 5K

Como é sabido, uma língua não se rege apenas por princípios lógicos. Muitas das expressões que a constituem são resultado de um processo histórico que leva ao aparecimento de expressões fixas. Estas são transmitidas como se fossem uma única palavra, como é o caso apontado na pergunta.

Assim, em português europeu, barco à vela é uma sequência correcta pela razão de ter uma história particular, que não é a mesma de barco a vapor, barco a motor e barco a remos. Por exemplo, o Dicionário estrutural, estilístico e sintáctico da Língua Portuguesa de Énio Ramalho regista barco à vela, com contracção da preposição a e do artigo definido feminino singular a, a par de outras duas expressões em que surge à vela (fazer-se à vela e ir à vela). Galicismo ou não, à vela é, pois, uma forma que dispensa correcção, porque foi consagrada pelo uso. E o mesmo se dirá acerca de barco a motor, que não segue o modelo de formação de barco à vela.

 

Carlos Rocha