Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Victor Cunha Rego
Victor Cunha Rego
602

Victor Cunha Rego (Oeiras, 1933 – Lisboa, 2000), licenciado em Direito pela Universidade de Grenoble, foi um jornalista e diplomata português. Antes de partir para o Brasil, viagem motivada pela censura do Estado Novo, trabalhou na redação do Diário Ilustrado. Já no Brasil, trabalhou em jornais como O Estado de S. Paulo, Última Hora e no Folha de S. Paulo. Não se ficou neste país exilando-se, após a instalação da ditadura brasileira, na Argélia, na Jugoslávia e em Itália. Regressa a Portugal após o 25 de Abril.

 
Artigos publicados pelo autor

Os jornais multiplicam-se em opiniões sobre a degradação da língua.

Uma nação a cair – e a nação portuguesa sem um Estado digno do nome dificilmente evita uma crise grave – inclui uma língua a degradar-se. A ordem dos factores é essa.

Seguindo a França, Portugal pretendeu ser também feito de palavras. São estas que estão a perder-se, a perder o rigor, tal como acontece aos portugueses.