Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Vasco Botelho de Amaral
Vasco Botelho de Amaral
1K

Vasco Botelho de Amaral, nascido em Lisboa, em 1912, faleceu em 1980 na mesma cidade. Nnotabilizou-se pelas suas "Palestras de Língua Portuguesa" emitidas durante cerca de 30 anos aos microfones do Rádio Clube Português e ainda no Programa Português da BBC de Londres. No seguimento de uma das suas "Palestras", foi fundada em 1949 a Sociedade da Língua Portuguesa, tendo sido o Professor Doutor Hernâni Cidade o seu primeiro presidente. Em 1953 fundou, na cidade que o viu nascer, o Centro Internacional de Línguas, primeiro instituto em Portugal para o ensino prático de idiomas, cujo cargo de diretor ocupou até ao final da sua vida.  A par disso, entre um vasto número de obras levadas ao prelo, colaborou regularmente com diversos jornais e revistas, entre os quais se destacam o Diário Popular, o Diário de Notícias, a Revista Lusitana, a Revista Ocidente e a Revista de Portugal.

 

 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo
Por Vasco Botelho de Amaral

Para assinalar o centenário do nascimento de Vasco Botelho de Amaral (1912-1980), surge a reedição, limitada  ainda a apenas 30 exemplares, do há muito esgotado Grande Dicionário de Dificuldades e Subtilezas do Idioma Português (primeiro publicado em fascículos e com duas reimpressões em 1958). A edição, em dois volumes (no total de 2200 páginas), foi  coordenada por António Botelho de Amaral e Margarida Botelho de Amaral Freire, filhos do eminente professor que consagrou a vida à investigação tanto da língua e da literatura portuguesa, como da inglesa.

De acesso ainda restrito, encontra-se apenas disponível nalgumas bibliotecas de Lisboa – por exemplo, da Faculdade de Letras, da Fundação Calouste Gulbenkian e do Centro Cultural de Belém – e na British Library, de Londres.

Apologista de uma Filologia ao serviço do Homem, Vasco Botelho de Amaral organizou este Grande Dicionário de modo a torná-lo acessível a todos, independentemente do seu nível de instrução e da sua classe social. Profundamente rigoroso, mas ao mesmo tempo atento a uma lúcida simplificação visando a heterogeneidade dos seus leitores, considerou Vasco Botelho de Amaral ter entre mãos uma «iniciativa com vista ao futuro», partindo do pressuposto de ser necessário compreender as origens e as razões da evolução da Língua Portuguesa de modo a tecer considerações acerca do devir do idioma.

 

A reedição que agora nos é apresentada respeita o texto original, num critério de fidelidade que se escusou a enveredar por assuntos concernentes ao português dos nossos dias. É, pois, com muito agrado que saudamos a disponibilização desta obra, de su...