Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Ruy Belo
Ruy Belo
656

Ruy Belo (São João da Ribeira, 1933 – Queluz, 1978), doutorado em Direito Canónico pela Universidade de S. Tomás de Aquino, em Roma, foi um poeta Aquele Grande Rio Eufrates – 1961, Boca Bilingue – 1966, Despeço-me da Terra da Alegria – 1978 e ensaísta português. Enquanto profissional, trabalhou como professor no ensino secundário e na Universidade de Madrid, colaborou em revistas, trabalhou para o Ministério da Educação e foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

 
Textos publicados pelo autor
Por Ruy Belo


Conheço as palavras pelo dorso. Outro, no meu lugar, diria que sou um domador de palavras. Mas só eu - eu e os meus irmãos - sei em que medida sou eu que sou domado por elas. A iniciativa pertence-lhes. São elas que conduzem o meu trenó sem chicote, nem rédeas, nem caminho determinado antes da grande aventura.
Sim. Conheço as palavras. Tenho um vocabulário próprio. O que sofri, o que vim a saber com muito esforço fez inchar, rolar umas sobre as outras as palavras. As palavras são seixo...

Por Ruy Belo


Meados de janeiro. No aeroporto duma capital
- leitores eventuais se quereis saber qual
terei de ser sincero como sempre o sou e não apenas em geral:
o caso que vos conto aconteceu no europeu nepal -
um grupo de pessoas num encontro casual
desses que nem viriam no melhor jornal
de qualquer dos países donde algum de nós seria natural
de certo por alguma circunstância puramente acidental
emprega no decurso da conversa a palavra «natal»
embora a pensem todos na res...