Pedro Mexia - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Pedro Mexia
Pedro Mexia
2K

Pedro Mexia (Lisboa, 1972), poeta e cronista português, é licenciado em Direito pela Universidade Católica. Colaborou regularmente com as Produções Fictícias. Tem participado em programas de comentário político: O Eixo do Mal , na SIC-Notícias (até 2005) e o Governo Sombra, da TVI24 (desde 2012) . É crítico no jornal Público, onde também assina uma crónica semanal. Publicou os livros de poemas Duplo Império (1999), Vida Oculta (2004) e Senhor Fantasma (2007), entre outros. Autor de vários blogues.

 
Textos publicados pelo autor
Advento
Sobre um comentário teológico à preparação do Natal

Comentando a reflexão o teólogo protestante Karl Barth (1886-1968) dedicou ao Evangelho de São Lucas, o poeta português Pedro Mexia declara: «[N]unca deixei de me sentir intrigado pelo Advento, tempo que, no calendário litúrgico, corresponde à preparação do Natal mas que também introduz uma humanização do divino». À volta do significado teológico do Advento, isto é, do período de quatro semanas antes do Natal, transcreve-se um  texto deste autor português, que o assinou em 14 de dezembro de 2019 no suplemento Revista do semanário Expresso.

Na imagem, Anunciação (1936), de Jorge Barradas (Lisboa, 1894–idem, 1971), Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado (Lisboa). Fonte: MatrizNet.

Teatro
Sobre falar uma língua

«Pensar sobre a linguagem é como pensar sobre andar de bicicleta enquanto se está em cima da bicicleta, um prenúncio de queda.», afirma Pedro Mexia, numa analogia que ilustra uma reflexão sobre a densidade da linguagem, faculdade a que ninguém permanece indiferente, num texto que se transcreve, com a devida vénia, da revista E, suplemento do jornal Expresso (o autor segue a antiga ortografia).

Contra a exclamação *

«Um mundo sem pontos de exclamação é um mundo de linguagem mais criativa, mais subtil, mais ambígua», escreve o autor neste artigo transcrito do jornal "Público" de 12 de maio de 2007, com a devida vénia.