Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Pedro Mexia
Pedro Mexia
700

Pedro Mexia (Lisboa, 1972), poeta e cronista português, é licenciado em Direito pela Universidade Católica. Colaborou regularmente com as Produções Fictícias. Tem participado em programas de comentário político: O Eixo do Mal , na SIC-Notícias (até 2005) e o Governo Sombra, da TVI24 (desde 2012) . É crítico no jornal Público, onde também assina uma crónica semanal. Publicou os livros de poemas Duplo Império (1999), Vida Oculta (2004) e Senhor Fantasma (2007), entre outros. Autor de vários blogues.

 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo

Acho que nunca usei um ponto de exclamação. Tenho objecção de consciência aos pontos de exclamação. Geralmente, a mais leve aparição dessa sinalefa me desanima a ler determinado texto. E quando aparecem artigos que são manchas compactas de exclamações, nem olho mais. É como se fossem desbafos juvenis. Claro que há génios da exclamação, como Céline e o Capitão Haddock, mas convenhamos que são duas excepções, digamos, absolutamente excepcionais.