Carlos Pazos-Justo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Carlos Pazos-Justo
Carlos Pazos-Justo
106

Licenciado em Filologia Galega (1998) e em Filologia Portuguesa (1999) pela Universidade de Santiago de Compostela. Mestre em Teoria da Literatura e Literatura Portuguesa pela Universidade do Minho (2009) e doutor em Ciências da Cultura pela mesma instituição. Foi Leitor do Centro de Estudos Galegos (2003/2008). Na atualidade é professor da área de Estudos Espanhóis e Hispano-Americanos do Departamento de Estudos Românicos da Universidade do Minho, onde dirigiu o Mestrado em Espanhol Língua Segunda e Língua Estrangeira. Prémio Carvalho Calero de Investigação em 2009 com Trajectória de Alfredo Guisado e a sua relação com a Galiza (1910-1921).

 
Textos publicados pelo autor
Galiza e(m) nós
Estudos para a Compreensão do Relacionamento Cultural Galego-Português
Por Carlos Pazos-Justo, María Jesús Botana Vilar, Gabriel André

Publicado conjuntamente pelas Edições Húmus e pelo Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho (CEHUM), este é um livro constituído por «doze estudos, vários já previamente publicados e alguns inéditos», com a cordenação de três investigadores galegos – Carlos Pazos-JustoMaria de Jesus Botana VilarGabriel André – que dão relevo à coincidência dos textos reunidos, que «de diferentes perspetivas e áreas académicas, abordam, digamos, matéria galego-portuguesa».

O volume materializa assim um contraponto com outra coletânea que juntou artigos de académicos galegos e portugueses e que se intitula Portugal e(m) Nós, lançado em 2019, pela referida editora.

Como assinalam os coordenadores, «está reunido nesta coletânea [...] um conjunto de trabalhos das Ciências Socias e Humanas que de alguma forma são um indício dos interesses de investigação que a Galiza tem despertado em Portugal.» E acrescentam: «[São] contributos diversos, e até divergentes, traduzem a pluralidade de interesses, motivações ou caminhos vinculados à Galiza no Portugal das últimas décadas. A abordagem da matéria galega, como se poderá ver, não é unívoca, nem o contrário. E ainda bem.»

Sobre a estrutura, observa-se igualmente no prefácio:

«Não sem algumas dúvidas, organizamos o livro em quatro blocos temáticos – Do passado; Das imagens e ideias; Da língua e literatura; e Do passado no presente – de f...