Caso do Ciberdúvidas "em risco" chega ao parlamento [português] - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Caso do Ciberdúvidas "em risco" chega ao parlamento [português]
Por Susete Francisco 1K

A comissão parlamentar de Educação vai ouvir na próxima terça-feira [dia 10/07/2012] alguns membros do Ciberdúvidas, uma plataforma digital que responde a dúvidas de língua portuguesa, abrangendo os vários países da lusofonia, e que tem neste momento parte da actividade suspensa, por falta de financiamento.

De acordo com o jornalista José Mário Costa, um dos impulsionadores do projecto, que este ano completou 15 anos de actividade, o Ciberdúvidas está actualmente em risco, depois da saída dos CTT, [que era] um dos patrocinadores [o outro patrocinador é a Fundação Vodafone Portugal]. "Estamos endividados, não temos já capacidade para manter o Ciberdúvidas", afirmou o jornalista ao i, acrescentando que já não tem neste momento "condições para remunerar as três ou quatro pessoas" que garantem o funcionamento do projecto. Assim, "as cerca de 100 perguntas que o Ciberdúvidas recebe por dia" têm ficado sem resposta.

"Se não conseguirmos uma resposta positiva de uma entidade pública ou privada, o Ciberdúvidas está em risco", diz José Mário Costa, sublinhando que em causa está um valor de cerca de 2 mil euros mensais, em custos de manutenção do projecto. "Estamos a falar de valores residuais", sublinha o jornalista, acrescentando que nem por isso obteve resposta positiva quer de entidades públicas – "bati a todas as portas" – quer de empresas privadas.

José Ribeiro e Castro, deputado centrista que preside à comissão parlamentar de Educação, diz esperar que a audição com os deputados possa contribuir, através dos partidos, para a resolução da questão.

O Ciberdúvidas surgiu em 1997, por iniciativa de José Mário Costa e de João Carreira Bom, também jornalista, já falecido.

Fonte

Notícia publicada no jornal i de 7 de julho de 2012. Respeitou-se a ortografia de 1945, seguida ainda pelo diário português.

Sobre a autora

Susete Francisco é uma jornalista portuguesa do Jornal i que já passou pelas redações do Jornal de Notícias e do Diário de Notícias.