Liberianos trocados por libaneses - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
Liberianos trocados por libaneses

Nem sempre é fácil acertar com os gentílicos, sobretudo porque em muitos casos não seguem um padrão nas respetivas terminações ou porque recorrem a formas latinas ou latinizadas. E há, como se sabe, casos particularmente intrincados. Nada justifica, porém, que se chame aos naturais da Libéria libaneses em vez de liberianos ou libérios, como fez O Sol numa notícia de 19 de março de 2012. A frase é esta: 

«Certo é que, na Libéria, a "sodomia voluntária", leia-se homossexualidade, é considerada um desvio comportamental e, como tal, punida por lei com um ano ou mais de prisão. Quando interrogada sobre descriminalizar este comportamento, a Nobel declara que tal não deve acontecer num futuro próximo e explica à jornalista que na Libéria há "certos valores tradicionais" que os libaneses querem preservar.»

O mínimo de conhecimento de geografia e alguma sensibilidade linguística, acompanhados da consulta de um qualquer dicionário geral ou do Dicionário de Gentílicos e Topónimos do Portal da Língua Portuguesa, resolveriam facilmente erros grosseiros como este.

Sobre o autor

Paulo J. S. Barata é consultor do Ciberdúvidas. Licenciado em História, mestre em Estudos Portugueses Interdisciplinares; curso de especialização em Ciências Documentais (opção Biblioteca e Documentação) e curso de especialização em Ciências Documentais (opção Arquivo).