Toupeira - O nosso idioma - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma Artigo
Toupeira
Toupeira

Apontamento* da autora, alusivo a um caso da atualidade portuguesa: a chamada operação policial e-toupeira, envolvendo digentes do Benfica.

 

Se quisermos começar pelo animal, teremos de dizer que a toupeira é um «pequeno mamífero insectívoro que tem os olhos pouco desenvolvidos, com as patas anteriores largas e robustas, que lhe permitem cavar galerias debaixo do solo, onde caça insectos e vermes». Se quisermos passar para os humanos e para o conceito que o dicionário designa «informal», então ficamos a saber que se trata de uma «pessoa que trabalha às ocultas ou infiltradamente numa instituição, geralmente para obter informação que possa ser usada pelos seus inimigos ou concorrentes».

Juntando as espécies, constroem subterraneamente «complicadas galerias», «labirintos complexos» e… inspiram a Polícia Judiciária na designação das suas operações. «Benfica espiava processos que visavam o clube e os rivais», foi título de notícia, que explicava: «Informações seriam recolhidas através de três funcionários judiciais, um dos quais foi detido esta terça-feira, a par de Paulo Gonçalves, o braço direito do presidente do clube da Luz, Luís Filipe Vieira.» Mais adiante, dava-se conta de que há cerca de um mês aparecera num blogue uma cópia da informação de serviço de um coordenador da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, o que obrigou a PJ a acelerar a investigação aos emails e outros registos electrónicos, baptizando assim a operação: E-Toupeira.

Duas formas de evitar «toupeiras» nos relvados: uma é estender redes metálicas revestidas a plástico a 5 a 10 cm de profundidade, por toda a área do relvado antes de colocar a relva, impedindo-as de passar; outra é uma armadilha que consiste num tubo de plástico fechado à frente, com quatro arames e uma portinhola à entrada, que permite entrar mas não recuar. Talvez alguma inspire a Judiciária. Ou usar trovisco, arbusto que liberta um odor que lhes é desagradável. «Mulher velha e mal vestida», «pessoa intelectualmente cega, estúpida, ignorante» e «pessoa intriguista e mexeriqueira» são outros significados de toupeira. Todos bonitos, não? 

Fonte

 in suplemento P2 do jornal Público de 11 de março de  2018, na coluna da autoraPalavras, expressões e algumas irritações. Texto escrito conforme a norma anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.

Sobre a autora

Rita Pimenta é uma jornalista portuguesa, copidesque do Público, autora do blogue Letra Pequena.