«Andar à torrina/torrinha/torreira do sol» - O nosso idioma - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma Artigo
«Andar à torrina/torrinha/torreira do sol»
«Andar à torrina/torrinha/torreira do sol»
Usos diferentes no Alentejo e na Cova da Beira

A propósito do esclarecimento sobre a expressão alentejana «andar à torrina do sol", conheço da minha região (Cova da Beira) as expressões «andar à torrinha do sol» e «andar à torreira do sol», também não dicionarizadas.

A minha interpretação é que «torrinha» e «torreira» derivam de torra, regressivo do verbo torrar, ambas dicionarizadas. Estas expressões usavam-se, sobretudo, nos trabalhos do campo, com o significado óbvio de «andar exposto ao sol», «andar à torra do sol» (esta menos usada): torrinha, diminutivo, com o significado de «torrar menos intensamente e de forma lenta», e torreira significando «de forma mais intensa e rápida».

Sobre o autor

Filólogo português, professor catedrático (jubilado) da Faculdade de Letras de Lisboa. membro efetivo da Academia das Ciências de Lisboa, em representação da qual fez parte da delegação portuguesa ao Encontro de Unificação Ortográfica da Língua Portuguesa, realizado na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, em 1986, em cujos trabalhos conduziram ao Anteprojeto de Bases da Ortografia Unificada da Língua Portuguesa, em 1988, e, depois, ao Acordo Ortográfico de 1990, firmado nesse ano, em Lisboa. Entre outras obras, coordenou a versão portuguesa do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa e, como coordenador científico, do Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (ed. Verbo, 2001) e do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (ed. Porto Editora, 2009). Sobre o autor, a sua obra e outras intervenções ver mais aqui e aqui.