Aterrar (Portugal) e aterrissar (Brasil) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Aterrar (Portugal) e aterrissar (Brasil)

Gostaria de saber se quando um avião toca o solo não deveria ser utilizado "aterrissar" em vez de "aterrar".

Luís Lamas Portugal 6K

Aterrissar (ou aterrizar) é o mesmo que aterrar –, sendo que a primeira forma é de uso corrente no Brasil e a segunda em Portugal e nos demais países de língua oficial portuguesa.

O verbo aterrissar, tal como o substantivo derivado aterrissagem, são dois galicismos  que,  a despeito de não recomendados por gramáticos  normativistas  como Napoleão Mendes de Almeida*, têm há muito registo nos principais dicionários brasileiros. É o o caso dos dicionários Caldas Aulete, Aurélio e Houaiss.  A abonação neste último dicionário refere que, segundo Antenor Nascentes**, o uso de aterrissar se impôs no Brasil  em virtude da homonímia com aterrar, nas aceções de «encher  de terra» e «causar terror»*.

*in Dicionário de Questões Vernáculas (edição de 1994) «Aterrar, aterragemAterrar é o verbo que se deverá empregar para indicar o ato de descer à terra um aeroplano: 'O avião aterrou normalmente'. O substantivo correspondente é aterragem; 'aterrissagem' e 'aterrisagem' são barbarismos. Outros barbarismos são 'amerissar' em vez de amarar, 'alunissar' em vez de alunar

** Ver Antenor Nascentes, Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa.

N.E.– (02/02/2017) Aterrrissar (ou aterrizar) – tal como aterrissagem – estão também abonados no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras, e no Vocabulário Ortográfico Português, no Portal da Língua Portuguesa.

Carlos Marinheiro/José Mário Costa