Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Alto-relevo e baixo-relevo
Qual a distinção entre alto e baixo-relevo? E de onde provêm tais expressões?
João Miranda Portugal 13K
A distinção entre estes termos pertencentes ao campo das artes consiste no seguinte: enquanto no alto-relevo as figuras da escultura sobressaem do plano de fundo três quartos do seu volume real, no baixo-relevo as figuras excedem em altura apenas menos de metade do seu volume real.
Os baixos-relevos são muito utilizados na decoração arquitectónica, na ourivesaria e na medalhística e os altos-relevos nos carimbos e sinetes.
Encontrei uma comparação entre estas duas técnicas, numa página da Internet, que passo a citar:
«É muito comum um baixo-relevo ser chamado de alto-relevo e vice-versa. Como a classificação dos relevos não alcança unanimidade entre os autores, os quais, muitas vezes, consideram não só o alto e o baixo, como também o médio relevo, usamos apenas os dois primeiros que são aceites por todos.
Na escultura em alto-relevo, a identificação é muito fácil: temos sempre a impressão de que os motivos foram previamente modelados e depois aplicados ao fundo, ou seja, ligados ao plano por alguns pontos. Já no baixo-relevo as figuras emergem do plano base, formando um único bloco e distingue-se em geral pelo pequeno volume das figuras sobre o fundo.
Na escultura ou gravura numismática, podemos dizer, depois do exposto, que todas as medalhas principalmente as moedas são realizadas em baixo-relevo porque se todo o relevo é uma saliência, tudo que se encontrar abaixo do plano de base será considerado como cavidade e, portanto, não teremos relevo.»

Maria Celeste Ramilo