A grafia dos compostos dia a dia e cor de laranja (AO) - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A grafia dos compostos dia a dia e cor de laranja (AO)

Estou-lhes muito grata por todo o apoio que me têm dado. Sinto dificuldades em conseguir informações corretas sobre o Novo Acordo Ortográfico, visto que diferentes dicionários apresentam grafias contrárias. Por exemplo, a Texto Editora escreve dia-a-dia e cor-de-laranja com hífens, enquanto a Porto Editora os retira. São apenas 2 exemplos, mas tenho-me deparado com situações semelhantes no que toca à supressão do c, duplas grafias etc., etc.

Nem sempre as informações condizem umas com as outras. Peço desculpa por vir partilhar esta preocupação, mas a verdade é que tais divergências baralham. Se entenderem que esta mensagem não se enquadra no âmbito do site, por favor ignorem-na.

Maria José Ribeiro Reformada (ex-agente de viagens) Porto, Portugal 5K

«Dia a dia» e «cor de laranja», segundo o novo acordo, não levam hífen.

Eis as regras:

HÍFEN (Bases XV, XVI e XVII)

«– Não se usa hífen nas palavras compostas que contêm um elemento de ligação, ou seja, constituídas por Nome + preposição + Nome: fim de semana, caminho de ferro, lua de mel, dia a dia, etc. (salvo algumas exceções já consagradas pelo uso, como é o caso de água-de-colónia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, à queima-roupa).»

Uma vez que «cor de laranja» não se encontra na lista das palavras «consagradas pelo uso», deve seguir a regra geral, ou seja, sem hífen.

Em relação às consoantes mudas e dupla grafia:

SEQUÊNCIAS CONSONÂNTICAS (Base IV)

– As consoantes c e p são suprimidas sempre que não sejam pronunciadas:

    Ex.: diretor, ótimo, correção, atual, etc.

– Essas consoantes mantêm-se nos casos em que são articuladas:

   Ex.: facto, técnico, rapto, adepto, etc.

– Permite-se a dupla grafia (no mesmo espaço geográfico ou em diferentes regiões) nos casos em que há oscilação de pronúncia das consoantes c ou p, sendo a consoante escrita de acordo com a pronúncia dominante: telespectador/telespetador; expectativa/expetativa; recepção (PB)/receção (PE), etc.

Sandra Duarte Tavares