Mário Lúcio Sousa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Mário Lúcio Sousa
Mário Lúcio Sousa
126

Escritor, músico e político cabo-verdiano. Licenciado em Direito pela Universidade de Havana, foi deputado ao parlamento cabo-verdiano e embaixador cultural do seu país. Foi ministro da Cultura de Cabo Verde entre 2011 e 2016. Fundador e líder do grupo musical Simentera, ex-libris da música cabo-verdeana é autor, entre outras, das seguintes obras: Nascimento de Um Mundo (poesia, 1990); Sob os Signos da Luz (poesia, 1992); Para Nunca Mais Falarmos de Amor (poesia, 1999); Os Trinta Dias do Homem mais Pobre do Mundo (ficção, 2000), prémio do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa; Vidas Paralelas (ficção, 2003); Saloon (teatro, 2004); Teatro (coletânea, 2008); O Novíssimo Testamento (romance, 2010), Prémio Literário Carlos de Oliveira; Biografia do Língua (romance, 2015), Prémio PEN Clube Português de Narrativa e Prémio Literário Miguel Torga, e do Manifesto A Crioulização (2021).

 

 
Textos publicados pelo autor
Como está-tua ex-celência?
As estátuas e a herança colonialista de Lisboa

«A História é tanto a erecção das estátuas e dos monumentos como as suas demolições. Presumindo e contundindo, pedir a substituição, a recolocação ou o afundamento duma estátua faz parte do processo histórico» – considera o escritor, músico e antigo ministro da Cultura cabo-verdiano Mário Lúcio Sousa no jornal Público de 4 de dezembro de 2021.