Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
J. C. Ary dos Santos
J. C. Ary dos Santos
635

José Carlos Ary dos Santos (Lisboa, 1937 – Lisboa 1984) foi um poeta e declamador português. Através da música deu-se a conhecer ao público, escrevendo mais de cem poemas para canções e concorrendo, por mais que uma vez, ao Festival RTP da Canção, sob pseudónimo. Viu-se envolvido em projetos de gravação de poemas e textos, tanto seus como de outros autores e publicou diversas obras, nomeadamente Asas (1953), Ary por Si Próprio (1970), As Palavras das Cantigas e Estrada da Luz (1984) e Rua da Saudade (1984).

 
Textos publicados pelo autor


Se em vez de medo disseres força

se em vez de velho disseres novo

ficas a saber que a língua portuguesa

é povo.

Se em vez de fome disseres pão

e chegada em vez de partida

ficas a saber que a língua portuguesa

é vida.

Grita como quem canta

Fala como quem quer

Para quem luta querer é poder.

Vencer.

Se em vez  de abutre for gaivota

Se em vez de escuridão for luar

Ficas a saber que a língua portuguesa

É mar.

Se em vez de grades disseres campo

E se em vez de lição disseres livro

ficas a saber que a língua portuguesa