Gustavo Carona - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Gustavo Carona
Gustavo Carona
94

Médico anestesista e intensivista no Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e dedica-se a missões humanitárias desde 2009. Representou os Médicos Sem Fronteiras, os Médicos do Mundo e a Cruz Vermelha Internacional em vários países e regiões, entre eles, a República Centro Africana, o Sudão do Sul, o Burundi, o Afeganistão, a Síria, o Iraque, o Iémen e a Faixa de Gaza. Autor de 1001 Cartas para Mosul e O Mundo Precisa de Saber.

 
Textos publicados pelo autor
«Morreu <i>de</i> covid» ou «<i>com</i> covid»?<br> Vamos combater as mentiras
Contra a intoxicaçao da opinião pública

«A determinação da causa de morte é um acto médico, que só ao médico diz respeito. Está longe de ser uma ciência infalível, como toda a medicina também não o é. Mas obedece à melhor interpretação dos dados clínicos disponíveis, e é feita com a mesma seriedade com que nos aplicamos na busca de um diagnóstico.»

O médico português intensivista Gustavo Carona contesta o comentador político José Miguel Júdice, que em 21 de dezembro de 2021, na SIC Notícias,  declarou estarem «a morrer pouquíssimas pessoas, e que a maioria é com covid e não de covid». Para Gustavo Carona, trata-se de uma afirmação tóxica para a opinião pública, lesiva da boa comunicação científica, pois despreza os critérios e a responsabilidade dos atos médicos. Artigo incluído em 22 de dezembro de 2021 no jornal Público (mantém-se a ortografia de 1945, adotada pelo original).