Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Eça de Queirós
Eça de Queirós
587

Eça de Queirós (Póvoa de Varzim, 1845 – Paris, 1900) foi um escritor realista português. Estudou Direito em Coimbra e fundou o jornal O Distrito de Évora, em 1866, colaborando ainda na Gazeta de Portugal. Em 1870, escreveu, com Ramalho Ortigão, o Mistério da Estrada de Sintra e, no ano seguinte, proferiu a conferência O Realismo como nova expressão de Arte, integrada nas Conferências do Casino. Entre 1872 e 1888 foi cônsul em Havana, Newcastle, Bristol e Paris e fundou, em 1889, a Revista de Portugal. Da sua obra, destacam-se: O Primo Basílio (1878), O Crime do Padre Amaro (1880) e Os Maias (1888).

 
Artigos publicados pelo autor

Um homem só deve falar, com impecável segurança e pureza, a língua da sua terra: todas as outras as deve falar mal, orgulhosamente mal, com aquele acento chato e falso que denuncia logo o estrangeiro.

Na língua verdadeiramente reside a nacionalidade; e quem for possuindo com crescente perfeição os idiomas da Europa, vai gradualmente sofrendo uma desnacionalização. Não há já para ele o especial e exclusivo encanto da fala materna com as suas influências afectivas, que o envolvem, o isola...