Um rótulo para azedar qualquer vinho - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
Um rótulo para azedar qualquer vinho
Um rótulo para azedar qualquer vinho
Erros na comercialização de produtos

Longe vão os festejos de Natal e nos dias que se seguem, no novo ano de 2019, recordam-se os bons momentos passados à mesa, muitas vezes com um copo de vinho, por exemplo, um porto. Mas, olhando para certas garrafas, leem-se rótulos capazes de lhes azedar o conteúdo… e o prestígio. O caso de uma marca comercializada na República Checa é exemplar.

No texto, falha a inserção do segundo parágrafo, uma longa e desgarrada expressão nominal: «O sabor a amêndoas e nozes, assim como um aroma complexo de frutos frescos e de compota que caracterizam a sua evolução durante, no mínimo, 6 anos em pipas de carvalho.» Seria de esperar mais um verbo nessa sequência para situar a descrição de tão louváveis sabor e aroma, nem que fosse num plano abstrato, intemporal: «O sabor a amêndoas e nozes conjuga-se com um aroma, etc». Solução alternativa seria suprimir o pronome que: «O sabor a amêndoas e nozes, assim como um aroma complexo de frutos frescos e de compota caracterizam a sua evolução durante, no mínimo, 6 anos em pipas de carvalho.» Outras formulações seriam possíveis – menos a adotada.

Da referência à temperatura para servir o néctar duriense transparece também desleixo, desta vez, gráfico. Com efeito, se se serve fresco, não é a 10oC, mas, sim, a 10 oC, porque se deixa um espaço entre o valor da unidade (em graus Celsius) e o símbolo dela, oC (com o o em expoente junto do C; leia-se “Unidades maltratadas” /artigos/rubricas/idioma/unidades-maltratadas/3259, de Guilherme de Almeida). Pela mesma razão, o valor da temperatura ambiente será de 16 oC, e não 16oC.

Rematando, a comercialização de produtos, dentro ou fora da União Europeia, não dispensa ninguém de cuidar da escrita promocional na língua (ou línguas) do país exportador. Sobretudo, quando o que se vende leva um nome próprio bem vernáculo – Porto.

Sobre o autor

Licenciado em Estudos Portugueses pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, mestre em Linguística pela mesma faculdade e doutor em Linguística, na especialidade de Linguística Histórica, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi leitor do Instituto Camões na Universidade de Oxford e no King's College de Londres. Professor do ensino secundário, coordenador executivo do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, destacado para o efeito pelo Ministério da Educação português.