Fazer perguntas e não “colocar questões” - Pelourinho - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa Pelourinho Artigo
Fazer perguntas e não “colocar questões”

     «Estão respondidas as questões colocadas pela RTP. Recorde-se que cada órgão de comunicação social hoje, excepcionalmente, pode apenas fazer uma questão», dizia o repórter Hélder Conduto, falando sobre uma conferência de imprensa dada por jogadores da selecção nacional portuguesa, presente no Mundial de Futebol da Alemanha.1.
     A expressão “colocar uma questão” é um galicismo, uma tradução literal do francês “poser une question”, que, em português, se traduz correctamente por «fazer uma pergunta». E a construção “fazer uma questão” no sentido de «fazer uma pergunta» é incorrecta. «Fazer questão», em português, significa dar toda a atenção, discutir, lutar por, não ceder.

      1“Jornal da Tarde” do dia 15 de Junho p. p.

Sobre os Autores

Jornalista português, cofundador (com João Carreira Bom) e responsável editorial do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Autor do programa televisivo Cuidado com a Língua!, cuja primeira série se encontra recolhida em livro, em colaboração com a professora Maria Regina Rocha. Ver mais aqui.