Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma Artigo
«Há anos "atrás"»

«Entrámos para o euro há dez anos atrás», «Deveriam ter sido tomadas medidas adequadas há muito tempo atrás»: este tipo de frases ouve-se cada vez mais, havendo quem considere correcta a utilização da palavra atrás como forma de intensificar a ideia de passado.

Ora, expressões do tipo «há anos atrás», «há meses atrás», «há muito tempo atrás» estão incorrectas. Nem podemos sequer considerar que há uma redundância aceitável.

Nestas frases, o verbo haver significa «existir» e usa-se para indicar a existência de um período que decorreu desde o momento em que se passou a acção referida até ao momento em que a frase é proferida. O verbo haver no presente do indicativo («há») indica o tempo presente, indica o que acontece no presente (e não atrás), o que acontece ou o que existe no momento em que se está a falar: no caso da expressão «há dez anos», tal significa que no momento em que a frase está a ser proferida (hoje) existem dez anos, completaram-se dez anos desde que algo aconteceu.

Alguns exemplos:

1. Há cinco anos que não o vejo. = Existe um período de cinco anos em que não o vejo. = O período em que não o vejo é de cinco anos. = Passaram-se cinco anos durante os quais não o vi.
2. Encontrei-o há uns dois meses. = Existe um período de dois meses entre o momento actual e aquele em que o encontrei. Passaram-se dois meses desde o momento em que o encontrei.
3. Isto aconteceu há quinze dias. = Existe um período de quinze dias entre o momento actual e aquele em que o facto aconteceu. Passaram-se quinze dias desde o momento em que o facto aconteceu.

 

Repare-se, pois, que a utilização do verbo haver no presente do indicativo (há) indica precisamente o que acontece no momento actual, indica que no momento actual se completaram cinco anos, dois meses ou quinze dias desde que algo aconteceu. Ora, não se poderá dizer que «decorreram cinco anos atrás» ou que «se completaram dois meses atrás» ou que «se passaram quinze dias atrás».

Dito de outra forma, o verbo haver associado a expressões de tempo indica o tempo decorrido entre o momento em que algo aconteceu e o momento em que a frase é proferida ou escrita, e esse tempo não existe «atrás», existe no momento de produção da frase: «atrás», antes, o período de tempo seria diferente.

Exemplos retirados da Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira: «havia dois anos que morava naquela casa», «vi pouco o nosso vizinho», «tempo é de abolir essa lei de dois séculos», «encontrara-o havia duas horas», «Nunca leu um livro que ele escreveu anos (…)?»

E uma sugestão para esclarecer qualquer eventual dúvida: transformemos as frases, mantendo a ideia, e veremos que o advérbio atrás é inaceitável. Exemplos:

1. «Entrámos para o euro há dez anos (atrás).» = «Há dez anos que entrámos para o euro.»
2. «Devíamos ter tomado medidas há muito tempo (atrás).» = «Há muito tempo que devíamos ter tomado medidas adequadas.»

 

Assim, a frase correcta é «Entrámos para o euro há dez anos», e não «Entrámos para o euro há dez anos atrás»: quando se utiliza o verbo haver com expressões de tempo, não deverá incluir-se o advérbio atrás.

Sobre a autora