Patogénico, patogenético e patogeno - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Patogénico, patogenético e patogeno

Um agente patogénico pode ser também designado por patógeno. Porém, é mais frequente encontrar patogénio, mesmo em textos de patologistas. Qual o termo mais correto?

Amílcar Duarte Agrónomo Olhão, Portugal 8K

É verdade que se tem visto muitas vezes "patogénio" a substituir patogeno (ou patógeno no português do Brasil), mas as formas corretas do adjetivo referente a patogenia são patogénico, patogeno (em português europeu) e patogenético.

De facto, das formas apresentadas pelo consulente, somente duas edições (de 1980 e de 2002) do Grande Dicionário da Língua Portuguesa, de António de Morais e Silva, registam os três termos – patogénico (de patogenia + sufixo -ico), patogeno (sem acento gráfico) e patogenético como adjetivos sinónimos que designam «relativo à patogenia ou pertencente à patogenesia, que provoca ou dá origem a doenças», como palavras formadas a partir de patogenia – que, por sua vez, tem como sinónimos os termos patogénese e patogenesia.

No entanto, é de referir que os restantes dicionários1, assim como os vocabulários ortográficos2 consultados, contemplam somente os adjetivos patogénico e patogenético, exceto o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa e o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras, que atestam também a forma patógeno.

Se nos debruçarmos sobre os termos patogeno (e patógeno, do Brasil), apercebemo-nos de que se devem ter formado por influência direta da forma original do étimo do nome/substantivo patogenia – «de pato- + -gena» – que, segundo o Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado, é formado por dois elementos de composição culta de origem grega: patos («do grego pathos, “o que sofre, o que afeta o corpo ou a alma”, que traduz a ideia de doença, enfermidade») e de -gen(a), «do grego génos, “origem, extração, nascimento, raça, nação, espécie, género”, que traduz as ideias de “origem, que produz”».

1 Fontes: Grande Dicionário da Língua Portuguesa, da Porto Editora, 2004; Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa, 2001; Dicionário da Língua Portuguesa, de Cândido de Figueiredo, 1986.

2 Os atuais vocabulários ortográficos, resultantes da aplicação do novo acordo ortográfico: Vocabulário Ortográfico do Português, da responsabilidade do ILTEC; Infopédia-Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Porto Editora, e FlIP-Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Priberam.

Ana Guerreiro/Eunice Marta
Classe de Palavras: adjectivo
Áreas Linguísticas: Etimologia; Léxico