Lesionar - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Lesionar

Há muitos anos que leio e que ouço designar os traumatismos de desportistas como "lesão". Referem-se os cronistas desportivos (e não só) que o jogador "a" saiu "lesionado", do verbo "lesionar".

Para mim era "facto consumado" a existência de tais palavras em qualquer dicionário. Engano meu. A verdade é que não encontrei o verbo "lesionar" nos dicionários, nomeadamente no de Cândido de Figueiredo. Aparece, isso sim, o termo "lesar" com a significação de "prejudicar alguém" ou de ferir.

É correcto ou não o uso do verbo "lesionar"?

J.Marques da Cruz 3K

O verbo lesionar [do latim laesione+ar] é de importação recente em Portugal, via Brasil, onde já se encontra dicionarizado, no sentido de causar lesão a, ofender fisicamente ou produzir lesão em. Por exemplo, é assim que regista o dicionário Michaelis, ed. Melhoramentos, São Paulo. E é nesse sentido, como refere, que se emprega, generalizadamente, na linguagem desportiva.

Só que em Portugal ainda nenhum dicionário consagrou esta nova palavra, preferindo-se, ainda, o termo já existente na nossa língua: lesar [do latim laesare], que tem ainda o duplo sentido de fazer dano ou causar prejuízo a alguém. Argumento a favor desta relutância: se existe já o vocábulo lesar, para quê uma nova palavra em tudo similar e que só confunde?

É o caso, também, de direccionar [a bola] – outro modismo da gíria do chamado futebolês, que veio substituir o já existente dirigir -, embora este já se encontre registado na 8.ª edição do dicionário da Porto Editora.

Os linguistas consideram-nas, por isso, palavras desnecessárias. Em vez de preencherem um vazio semântico no nosso vocabulário, só vêm substituir outras palavras bem mais simples e claras, até do ponto vista da eufonia.

Mas são, qualquer delas, palavras correctamente formadas.

José Mário Costa