Há anos não a vejo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Há anos não a vejo

Com referência ao período " Há anos que não a vejo", apresentado por mim anteriormente, devo dizer que minha dúvida respeita à classificação da oração " que não a vejo ", e não à análise sintática de seus termos. A propósito, discordo, se me permite, de se classificar a dita oração como temporal: a mim, me parece ser oração principal, mesmo porque podemos escrever " Há anos não a vejo ", sendo "que" palavra expletiva. " Há anos " seria, em meu ver, oração adverbial temporal justaposta. Gostaria de comentário a respeito, que já merece meus agradecimentos.

Fernando Bueno Brasil 18K

Sim, podemos dizer: «Há anos não a vejo.» Ou: «Não a vejo há anos.» Como verbo, há (v. haver) é aqui impessoal; e também pela significação de há anos, parece-me preferível não considerar há anos como uma oração, mas apenas como uma expressão de tempo. Porque não classificar há anos como complemento circunstancial de tempo? Não parece que há anos tenha «peso» suficiente para a considerarmos como oração. Para isso até contribui um pouco o facto de o que ser expletivo. Que lhe parece?

É claro que o elemento que não a vejo não o podemos classificar de oração temporal. Pois se ele não nos transmite a ideia de tempo...

Não me parece nada desassisado classificar há anos de oração adverbial temporal. Mas, pelo que disse atrás, parece-me (apenas me parece) preferível considerá-la como complemento de tempo. Também contribui para esta minha opinião o facto de não podermos subentender uma conjunção temporal.

Gostaria imenso de saber a sua opinião.

José Neves Henriques