A diabetes ou o diabetes - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A diabetes ou o diabetes

Embora se trate de questão já abordada, sendo a doença designada diabetes mellitus (e não mellita), não deveria ser do género masculino? Ou seja, usando a designação completa (diabetes mellitus) faz sentido dizer "a diabetes mellitus"?

Muito obrigado.

Sérgio Castedo Portugal 33K

Como se pode verificar em resposta de C. M. (A diabetes), é possível utilizar a denominação dessa doença quer no masculino quer no feminino. E nos próprios dicionários médicos aparecem ambos os registos, embora predomine o termo no feminino, por influência do francês (no séc. XVIII), onde a palavra é feminina.

Assim, neste momento tanto se aceita o masculino como o feminino. No entanto, se pretender utilizar a palavra no feminino, então deverá manter esse feminino sempre, ou seja, se pretender utilizar a designação completa em latim (‘diabetes mellitus’) deverá manter o artigo no feminino: a diabetes mellitus. Está a usar uma designação latina (que não tem artigo, pois em latim não há artigos) e a antepor-lhe o respectivo artigo em português.

Defendo a manutenção do artigo no feminino por vários motivos.

1. Em primeiro lugar, o género da palavra em grego ou em latim não é determinante na definição do género em português, se a palavra nos tiver chegado por intermédio ou influência de outra língua (neste caso o francês, em que a palavra é feminina).

2. Por outro lado, a designação de doenças é maioritariamente feminina (a palavra doença é feminina e as designações das diversas doenças são geralmente palavras femininas, subentendendo-se “a doença chamada...”).

3. Há vários tipos de diabetes, o que faz com que à palavra “diabetes” se liguem outras, especificando-a. Ora, se se optar pelo feminino, ele deverá manter-se em todas as denominações (a diabetes bronzeada, a diabetes calcinúrica, a diabetes química, a diabetes compensada, a diabetes assintomática, a diabetes mellitus, etc.), pois não faria sentido a palavra diabetes ir variando de género gramatical consoante o respectivo tipo.

4. Finalmente, em obras da especialidade aparece este termo no feminino (a diabetes mellitus), como por exemplo na Enciclopédia espanhola Salvat (Enciclopedia Salvat de Ciencias Médicas, 1955), que regista na página 311 do tomo II «la diabetes mellitus» e, na página 312, «la diabetes traumática». Embora a obra seja espanhola, verifica-se que a expressão latina vem precedida do artigo no feminino. No Dicionário Médico (de L. Manuila, A. Manuila, P. Lewale e M. Nicoulin, Lisboa, 2000), regista-se «a diabetes açucarada (ou diabetes mellitus)» (pág. 194). E na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira (1948), obra genérica, o termo aparece sempre no feminino: «Na diabetes mellitus estão alteradas as funções...», «... a diabetes mellitus dependia...» (volume VIII, página 877).

Maria Regina Rocha