Um Ciberdúvidas com cara nova - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Um Ciberdúvidas com cara nova
Um Ciberdúvidas com cara nova
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 762

Conforme já assinalámos, o envio de questões ao consultório encontra-se suspenso e, pedindo desde já a compreensão de todos os nossos consulentes, assim ficará durante mais alguns dias, de maneira a possibilitar que o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa volte de "cara nova", mais de acordo com a energia dos seus 18 anos de atividade. Vamos atravessar, portanto, uma grande transformação, que é a de muito em breve este portal ficar alojado nos servidores do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL). Trata-se de um processo que determina alterar o visual gráfico destas páginas, melhorar a pesquisa de respostas e artigos, bem como apresentar novas funcionalidades, no intuito de servir cada vez melhor quantos, por esse mundo fora, querem e gostam de saber sempre mais sobre o idioma partihado, hoje, por oito povos. A conclusão de todo este trabalho está muito próxima, aguardando nós a todo o momento a oportunidade de podermos anunciar a data precisa da colocação em linha do  renovado Ciberdúvidas.

Entretanto, deixamos disponível para consulta cerca de 40 mil textos, entre respostas e os textos mais variados das demais rubricas. E, para assuntos que não digam respeito a dúvidas linguísticas, recomendamos a utilização dos contactos aqui indicados.

Ainda a respeito do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (muitas vezes referido pela sigla AO),  e, em particular, da prolongada querela à sua volta, em blogues e redes sociais, surgem comentários entre a crítica e o apocalipse, que acusam a nova ortografia de instalar o caos na escrita praticada em Portugal. O exemplo mais recentemente apontado é o programa eleitoral Linhas de orientação geral para a elaboração do programa eleitoral, que o Partido Social-Democrata e o Partido Popular, atualmente no governo, apresentaram em conjunto com vista às legislativas a realizar no país em outubro próximo – e no qual ainda se escreve "excepcional", "objectivos" e "activo" ao lado das formas agora corretas exceçãoobjetivos e ativa (além de "bem estar", que continua a escrever-se com hífen: bem-estar). Não sendo propriamente este um caso ilustrativo do alegado «caos» em que todos viveríamos,  não é menos verdade observar – e criticar – o descuido de quem não esteve para consultar os variados recursos em linha que hoje estão ao alcance de todos nós, gratuitamente. São os casos do Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa e do Vocabulário Ortográfico do Português, além de outros vocabulários ortográficos e das versões eletrónicas de dicionários com grande tradição em Portugal, facilmente acessíveis na Internet. Os meios existem, e não tem desculpa quem os não utiliza.
[Imagem de Tradutores Contra o Acordo Ortográfico]

No programa Língua de Todos de sexta-feira, 5 de junho (às 13h30*, na RDP África; com repetição no dia seguinte, às 9h10*), o novo presidente da Sociedade da Língua Portuguesa, o escritor Francisco Moita Flores, fala dos projetos desta instituição. O Páginas de Português de domingo, 7 de junho (na Antena 2, depois das 17h00*) foca a situação do português no contexto europeu. Mais informação sobre estes programas na Abertura de 5/6/2015

* Hora oficial de Portugal continental.