Cruzamentos vários e um oportuno bom exemplo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Cruzamentos vários e um oportuno bom exemplo
Por José Manuel Matias/José Mário Costa 395

1. Sendo o âmbito específico do Ciberdúvidas a língua portuguesa, há semanas em que as perguntas que nos chegam implicam referências obrigatórias a outras disciplinas do saber e do conhecimento. Foi o caso da semana ora finda, com a Filosofia necessariamente envolvida, quando uma consulente nos interrogou sobre a palavra agnóstico. Mas também com a Botânica, quando uma outra consulente deu o seu contributo para a tradução de Hippophaë Rhamnoides. Ou com História, ao recordarmos as viagens que o nosso idioma fez pelo mundo, quando se cruzou com o japonês, no tempo em que o português era a língua veicular no comércio, no século XVI na Ásia. E recordámos, ainda, que temos no nosso vocabulário 954 palavras de origem árabe.



2. A propósito de palavras de origem árabe e ainda a pronúncia, e a grafia, de al-Qaeda. Como se assinala no Pelourinho, não podia ter sido mais oportuno ouvir a forma apropriada como o primeiro-ministro português pronunciou, no seu último debate na Assembleia da República, em Lisboa, a palavra que mais divide hoje, e pelas piores razões, o mundo em que vivemos. E acreditem mesmo, senhores deputados (e, já agora, senhores jornalistas, e senhores locutores, e senhores comentadores, e quem mais se obriga a bem falar e a bem escrever em público), acreditem mesmo em Durão Barroso nesta querela linguística do /Alcaida/ "versus" /Al-Qaéda/. Por isso, é só dar-lhe ouvidos...